Transferência Externa
Campanha março cursos de extensão
Reestruturação Societária
Mestrado
Pós Presencial
ENEM Presencial
Campanha março cursos de extensão
Direito de família e sucessões
1
Graduação em Direito
5
4

Blog EPD

Eleições: Nenhum eleitor pode ser preso ou detido

prisão eleições

Com a aproximação das Eleições, nenhum eleitor pode ser preso ou detido, salvo os casos de flagrante, alvo de uma sentença condenatória por crime inafiançável ou desrespeito a salvo-conduto.

A medida faz parte do artigo 236 do Código Eleitoral que tem por objetivo garantir o exercício do direito ao voto pelo maior número possível de cidadãos, e garanti-lo de modo livre, ou seja, sem indevidas ameaças ou pressões. A legislação também prevê que candidatos não podem ser presos 15 dias antes das eleições, exceto em flagrante.

A lei não se refere a buscas e apreensões e conduções coercitivas, que estão liberadas no período.

Quando é considerado o flagrante?

De acordo com o Código de Processo Penal, o flagrante delito ocorre quando alguém é detido enquanto está cometendo a infração penal, acabou de cometê-la, é perseguido logo após a infração penal em situação que faça presumir ser o seu autor, ou é encontrado, logo após, com instrumentos, armas, objetos ou papéis que façam presumir ser o autor da infração (art. 302). Nesses casos, apesar da garantia da não-prisão, o eleitor poderá ser detido.

O que são crimes inafiançáveis?

De acordo com a Constituição Federal do Brasil de 1988, são crimes que não admitem fiança a tortura, o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o terrorismo e os definidos como hediondos (art. 5º, XLIII). Para esses casos, se houver sentença criminal condenatória, esta poderá ser executada, ainda que no período da garantia da não-prisão.

O que é Salvo-conduto?

É o documento emitido pelo juiz, que garante a liberdade de locomoção nos casos de habeas corpus preventivo, que é concedido para garantir o livre trânsito ao seu portador, impedindo que seja preso ou detido (art. 5º, LXVIII, da Constituição Federal de 1988). Ou seja, o eleitor que violar o salvo-conduto concedido poderá ser detido ou preso, ainda que dentro do período da garantia.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram