Ministro da Justiça condena atos de violência em protestos contra aumento de passagem em São Paulo

Brasília - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, condenou hoje (12) os atos de violência praticados, em São Paulo, por manifestantes contrários ao reajuste dos preços das passagens dos transportes públicos. É um absurdo. Não é assim que se vai conseguir qualquer reivindicação. Vivemos em uma democracia, disse Cardozo, depois de reunião com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

O ministro ponderou que a sociedade tem o direito de reivindicar, mas sem usar de vandalismo. É legítimo que as pessoas expressem suas opiniões, mas nunca com violência, com atos de vandalismo. Temos um Estado Democrático de Direito e temos que aprender a conviver nesse espaço. Não é com vandalismo que vamos conseguir chegar a resultados positivos dentro daquilo que queremos, argumentou o ministro.

Ontem (11) terceiro dia de protestos contra o aumento da passagem, que passou de R$ 3 para R$ 3,20 no último dia 2 17 pessoas foram presas, durante uma manifestação à noite. Seis delas, encaminhadas ao 78º Distrito Policial (DP), foram liberadas por terem cometido atos de menor gravidade, como pichação, desacato a autoridade e obstrução de vias.

O Movimento Passe Livre, que organiza os protestos, programou duas manifestações na semana passada, nas quais também ocorreram confrontos com a polícia. Um novo ato está marcado para amanhã (13).

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: 
Agência Brasil