Ministro diz que fragilidade cibernética não é problema apenas do Brasil

O ministro da Defesa, Celso Amorim, disse há pouco que a fragilidade cibernética do Brasil está bem diagnosticada e não é um problema exclusivamente nacional. "Nenhum país consegue proteger todas as suas informações, mas é preciso criar uma consciência para o problema, que não tem uma solução absoluta", disse.

Amorim, que participa de reunião conjunta das Comissões de Relações Exteriores da Câmara e do Senado, reiterou a necessidade de investir no desenvolvimento de ferramentas nacionais para tratar o problema e sugeriu que o Congresso garanta os recursos orçamentários para a pasta da Defesa.

Também participam do debate o ministro de Relações Exteriores, Antônio Patriota; e o ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional, José Elito.

Fonte: 
Agência Câmara de Notícias